The Merge: A Fusão do Ethereum Está Concluída

A atualização histórica deixa de lado os mineradores – que antes conduziam a Blockchain – e faz promessas de enormes benefícios ambientais.

Imagem: Pexels.com

Os leitores do blog já estão a par dos acontecimentos há mais de dois meses. Um atestado do meu compromisso de trazer os fatos realmente importantes da tecnologia mundial para o espaço da língua portuguesa, colhidos diretamente dos insiders.

Aqui está nosso artigo de 8 de julho, em que explico tudo com meu estilo peculiar de quem respeita a inteligência do leitor. O material ainda está quente, e totalmente atual, implorando para ser lido. Se gostar, por favor compartilhe em outras mídias – e fale bem de mim (pretty please).

São quase 16:00 e vejo que os próprios canais brasileiros especializados em criptomoedas estão dormindo no ponto e levando banho de nosso aguerrido blog. Será que se desencantaram?


Nos últimos dias tenho me ausentado da edição de material e me concentrado na divulgação. São mais de 160 artigos em cerca de um ano e meio – quase 200.000 palavras! Para mim seria uma lástima ver esse esforço tremendo desperdiçado.

O grande problema na divulgação deste blog é que sou um crítico do modelo atual das redes sociais, e portanto, por uma questão de coerência, não possuo conta no Facebook, e nem Instagram – na verdade possuo, mas estão desativadas há anos. Não preciso dizer o quanto isso é ruim para a audiência. Conto apenas com os leitores do WordPress — que, graças sejam dadas, aumentam em número de forma suave e constante — e com o boca a boca de quem gosta deste espaço.

    Para ser totalmente honesto, devo dizer que, para esse esforço de divulgação, reativei uma antiga conta no Twitter onde, neste momento, sigo quatro pessoas e sou seguido por duas! Fiz também uma conta no Reddit, onde meu karma ainda é ZERO. É o máximo de rede social que consigo suportar [e controlar]. Criei o sub r/StableDiffusionBR, mas não posso postar enquanto meu karma for zero.

    Tenho pedido aos amigos IRL para compartilhar os posts do blog, e tenho tido resultados mistos com a estratégia. Aproveito para agradecer a todos os amigos que pacientemente recebem meus disparos e dão feedback sobre meu trabalho, mesmo não gostando do assunto. Prometo parar de importunar, assim que o meu Break-even for alcançado. 🙂 Se precisar investir no impulsionamento, assim farei, porque este site também é parte integral de minha esfera profissional.

    Tenho trabalhado bastante e acredito em alcançar o objetivo de ajudar a formar – e participar de – uma massa crítica da tecnologia no universo da lusofonia.

    Obrigado por nos prestigiar. Desejo sucesso a você também, amiga e amigo bloguista. Sempre avante!

    Tokens Não Fungíveis e a Nova Economia Real

    (*) Este não é um tutorial, e assume que o(a) leitor(a) tem alguma informação prévia sobre o assunto.

    Em termos simples, um token não fungível (TNF) é um ativo digital exclusivo. Nenhum token não fungível é igual a outro. Colocando de outra forma, quando enviamos 1 Bitcoin (BTC) para um usuário e recebemos 1 BTC, de volta, nada muda em nossa perspectiva. Isso é porque cada Bitcoin é idêntico ao outro, tornando-o um ativo digital fungível [i.e., pode ser negociado em espécie]

    Em oposição, um TNF é como a Mona Lisa de Leonardo da Vinci. Ele é único e é isso que o torna valioso. Cada TNF armazena alguma forma de metadados que faz dele um registro único na blockchain (note que até mesmo os TNFs em blocos similares da mesma blockchain não são intercambiáveis).


    Como o token não fungível dá poder ao seu proprietário?

    Um TNF é uma estrutura de dados que vem equipada com um mecanismo para armazenar metadados abrangentes que vão além do mero token; ele armazena os detalhes tanto do bem negociado (o ativo) como do proprietário. Consequentemente, os envolvidos na transação ficam garantidos quanto à procedência do ítem.

    Os TNFs têm algum valor?

    Para responder isso, vejamos uma linha de tempo. As tentativas de criar TNFs na Blockchain começaram em 2013 quando a ColorCoin foi construída no Bitcoin. No entanto, o primeiro padrão técnico organizando os TNFs apareceu em 2017. Seu nome foi Ethereum Request for Comments 721 [em tradução livre significa Requisição da Etherium para Comentar – “comentar”, aqui, no sentido de propor padrões] .

    Essa especificação é um bocado diferente da ERC20 [especificação técnica usada para smart contracts na blockchain da Ethereum, que implementa tokens]. Isso porque a ERC721 rastreia tanto a propriedade em sí mesma quanto os movimentos de tokens individuais. E é essa capacidade que faz um token não fungível algo único e valioso.

    Cryptokitties, um jogo de simulação com o tema /objetivo “criar gatos”, foi a primeira implementação bem sucedida da ERC721. Sendo assim, cada ERC721 representava um gatinho digital único. Um evento notável aconteceu em 2017, quando um gatinho digital cryptokitty foi negociado por US $ 172.625 – 600 ETH na época, o mais caro até então. Foi quando gigantes como o Google Ventures perceberam o poder dos TNFs.

    Recentemente, uma start-up de Blockchain, Enjin, entrou em uma parceria com a Microsoft para criar uma linha de colecionáveis chamada Azure Heroes. Vou usá-la adiante como um exemplo ligeiro para abordar como os TNFs funcionam no mundo real.

    Proposição de valor

    No mundo real, os TNFs têm alguns casos de uso com grande potencial nas artes plásticas, na música, antiguidades, certificados de propriedade e muito mais. A industria de games está na vanguarda do processo. Existem algumas razões pelas quais a industria de jogos competitivos e/ou de simulação foi a primeira a implementar TNFs. Entre outros fatores, foi porque a ideia estava ao alcance do braço em uma industria que flerta com o imaterial, e porque os gamers já estavam familiarizados desde sempre com o conceito de colecionáveis ​​digitais.

    As iterações futuras dos TNFs provavelmente ligarão ativos físicos a esses tokens para transferências sem confiança no mundo real. Para ficar em apenas um exemplo de uma grande industria, os certificados de identificação e as licenças de software podem ser negociados como TNFs.

    Muitos projetos já estão propondo melhoramentos nas especificações de TNFs como as ERC115, ERC875 e ERC998.

    Características de um token não fungível

    • Eles são exclusivos do proprietário;
    • Eles não são intercambiáveis ​​com outros TNF idênticos;
    • Cada TNF tem características únicas;
    • Cada TNF representa propriedade, direitos e privilégios;
    • TNFs não são divisíveis.

    Como funcionam e como adquiri-los?

    Há muitas maneiras pelas quais os TNFs podem funcionar. Como este é um blog de tecnologia, vamos usar como exemplo os últimos colecionáveis ​​digitais introduzidos pela Microsoft.

    Naturalmente, muitos desenvolvedores de software trabalham na plataforma Microsoft Azure. Agora eles estão recebendo colecionáveis digitais como estímulo financeiro adicional. Um total de cinco distintivos (Badges) baseados na blockchain foram desenvolvido pela Enjin.

    Os cinco distintivos da Microsoft: Lider da Inclusão, Herói do Conteúdo, Herói da Comunidade, Mentor e Maker

    Cada distintivo está disponível em número limitado e será concedido à pessoa que fizer contribuições significativas para a plataforma Azure. Cada distintivo é basicamente um token ERC-721 que pode ser armazenado na carteira Enjin e negociado como qualquer ativo digital. Cada distintivo é único devido à sua definição de propriedade e é isso que define seu valor atual e futuro.

    Para o desenvolvedor Azure receber um distintivo do token, é necessário enviar uma candidatura pessoal, além de fazer uma contribuição valiosa no trabalho para a plataforma. Quando a equipe da Microsoft faz a revisão e a avaliação positiva do trabalho, o desenvolvedor recebe o distintivo digital, que pode então ser reivindicado digitalizando um código QR. À primeira vista não parece sério, mas esses prêmios são muito cobiçados. É nessas ocasiões que lembramos que no capitalismo a noção de valor pode ser, às vezes, contraintuitiva.

    Fica implícito que para ter acesso aos mercados de TNFs é preciso possuir uma carteira de blockchain – que pode ser baixada em muitos sites. Aqui apresentamos o site da Enjin (que foi citada no texto), onde também pode ser baixada. Não temos nenhuma relação com eles e este link não constitui aprovação da empresa.

    Conclusão

    As moedas fungíveis de criptografia já provam diariamente sua importância no ecossistema de ativos digitais. Os tokens não-fungíveis, por outro lado, representam uma oportunidade em potencial para tokenizar os ativos físicos mantendo uma linhagem tecnológica única [Blockchain –> QualquerCoin –> TNF] . Tudo somado, os TNFs ampliarão o escopo da blockchain no mundo real e levarão a experiência humana de comércio a novas dimensões.

    Certamente voltaremos ao assunto.