Bitcoin: nem Moeda, nem Investimento

Nesta postagem, espero argumentar com os leitores sobre como o bitcoin não pode fazer o que o dinheiro normal faz e que, como um investimento, é mais parecido com um esquema de pirâmide, não sendo, portanto, a salvação do mundo. Tentarei explicar o que os bitcoins são – ou não são, na esperança de que os leitores possam tomar uma decisão informada se quiserem participar dessa nova corrida do ouro.

Imagem: iStock

Moeda digital ingênua

Vamos começar com um experimento mental. Quero fundar uma nova moeda, mas não quero ter o incômodo de realmente cunhar moedas ou imprimir notas. Então, o que eu faço é pegar pedaços de papel comum e escrever números neles, digamos de 0 a 30 milhões, e digo ao mundo que esses números são dinheiro. Vou chamá-lo de Bitcoin.

Se as pessoas acreditarem em mim, o esquema funcionará e você poderá fazer pagamentos com esses pedaços de papel. Curiosamente, nem precisamos dos pedaços de papel: é o próprio número que é o dinheiro. Isso também torna muito fácil fazer pagamentos online – sem necessidade de enviar papel e sem nenhum banco envolvido. Em vez de manter grandes pilhas de papel para provar que temos dinheiro, apenas armazenamos os números em um arquivo em algum lugar [se você excluir o arquivo, perderá seu dinheiro].

Muito bem. O problema agora é que nada impede que as pessoas gastem esse dinheiro duas ou mais vezes. Então, pego meu bitcoin número 40001 e uso-o para comprar pão e, ao mesmo tempo, encomendar algumas roupas online com ele.

Claramente, usar números como dinheiro pode funcionar em teoria, mas logo a moeda entra em colapso, pois todo mundo tem uma cópia de cada número. As pessoas podem simplesmente continuar a gastar seus números repetidamente, e logo ninguém os quer mais.

Mantendo o controle para evitar crédito em dobro

No bitcoin, todas as transações são registradas. Portanto, se você gastar um bitcoin [o 40001, já apresentado], essa transação será transmitida e armazenada na rede. Se eu tentar gastar o mesmo bitcoin novamente, descobrirei que a rede se recusa a registrar essa nova transação – porque agora já existe uma cadeia de transação mais longa registrada, atualizada para incluir o novo proprietário do crédito 40001. Assim, evita-se o reuso da transação.

No entanto, isso significa duas coisas:

  • Cada transação é registrada. Portanto, se você receber seu salário em bitcoins e gastá-lo no fornecedor local de drogas, essa transação será registrada para sempre. Isso pode voltar para assombrá-lo em um estágio posterior da vida [agora seu empregador sabe onde você gasta seu dinheiro]
  • Gravar e verificar a transação leva tempo. Como a rede de bitcoin [chamada Blockchain] é totalmente distribuída e não tem um ponto central confiável, as transações só são consideradas efetivamente registradas se partes suficientes da rede as tiverem verificado. Isso leva cerca de 10 minutos e, para certeza absoluta, recomenda-se uma espera de uma hora. Portanto, esqueça as compras rápidas usando bitcoins

Adicionando privacidade

Essa estória de registrar a transação não agrada a ninguém e, na verdade, constitui uma falha de privacidade evidente. Uma “solução” foi encontrada, no entanto. Quando alguém deseja enviar dinheiro para outra pessoa, cria-se uma nova identidade para essa transação.

Ao trocar essas identidades personalizadas, cada transação individual ganha um ar de anonimato. Contudo, se você quiser de fato gastar suas moedas, você vai ter que vinculá-las à sua identidade na transação de saída de qualquer maneira, anulando assim o anonimato inicial.

A oferta de dinheiro

De onde vêm os bitcoins? Em uma moeda normal, um banco central cria dinheiro, geralmente em linha com o crescimento (esperado ou pretendido) da economia. Como o bitcoin não tem banco central, foram encontrados meios para permitir que as pessoas “minerem” novas moedas a uma frequência predeterminada – e constante.

Há um suprimento constante de novos bitcoins, definido em 150 bitcoins/hora até 2017, ponto no qual isso diminuiu para 75 bitcoins/hora. No fim de tudo, haverá os 30 milhões planejados inicialmente, e nada mais além disso.

Isso torna impossível olhar para bitcoins como “dinheiro”. Economias inteiras foram destruídas pela calibragem errada da taxa de criação de dinheiro (muito baixa em 1710 na França, causando deflação, muito alta com quase todas as outras moedas, resultando em inflação). Embora possamos nos exasperar ao ver que os bancos centrais ainda não conseguiram eliminar os desequilíbrios das moedas tradicionais, os bitcoins têm apenas um ritmo único de criação de dinheiro, e esse ritmo não tem flexibilidade para se ajustar às oscilações da economia.

Resumindo, a economia pode crescer, mas o número de bitcoins em circulação pode não corresponder a esse crescimento. Na medida em que o interesse em bitcoins cresce mais rápido do que a sua taxa de criação – como é o caso atualmente – o bitcoin começa a mostrar um pesado comportamento deflacionário. Cada bitcoin individual passa a valer cada vez mais ‘dinheiro normal’. Isso desestimula o gasto das criptomoedas.

Sob condições deflacionárias, em termos nominais, as coisas vão ficando sempre cada vez mais baratas. Por que comprar um carro agora, quando você tem certeza de que será mais barato na próxima semana? Essas condições já destruíram economias inteiras.

Os problemas em resumo:

  • As transações de Bitcoin são (muito) mais lentas do que as transações normais de dinheiro (10 minutos a 1 hora)
  • Cada transação de bitcoin deixa um rastro publicamente visível que só pode ser obscurecido, mas nunca apagado
  • Como a taxa de criação de bitcoins é fixa, o valor monetário regular dos bitcoins irá flutuar muito, tornando-os inadequados para funcionar como moeda normal

Muitos adeptos do bitcoin concordarão com os pontos acima e oferecerão duas respostas:

  • Bitcoin não é uma moeda normal, mas um investimento
  • A maioria dos problemas pode ser resolvida calculando o valor do bitcoin de uma transação em relação às taxas de conversão para dinheiro normal – uma espécie de ‘câmbio’.

Esse raciocínio não se sustenta. Se olharmos para os bitcoins como um investimento, isso só funcionará se pudermos convencer as pessoas a participar e, assim, aumentar o ecossistema dos bitcoins. Mas por que as pessoas participariam? Ora, porque o valor da moeda continua aumentando! Isso é normalmente conhecido como ‘esquema de pirâmide’, onde as pessoas que entram primeiro levam o dinheiro daqueles que entram no jogo depois. Estes, por sua vez, só ganham dinheiro se atraírem ainda mais pessoas a participar.

Se olharmos para os bitcoins como moeda, mas admitirmos que ainda precisamos do dinheiro tradicional como referência de valor, então qual é a vantagem do bitcoin? Qualquer uma das supostas vantagens dos bitcoins desaparece se ele precisar da moeda normal como um adjunto para ser útil.

Finalmente

Portanto, antes de entrar no movimento dos bitcoins, perceba, pelo descrito acima, que, como moeda, os bitcoins são cheios de falhas. Como investimento, você já está atrasado para o jogo e está apenas financiando as pessoas que entraram antes. E antes mesmo que você perceba, você se verá entusiasmado falando sobre bitcoins em festas de aniversário, porque agora você faz parte da pirâmide!

Este texto tem um sabor de frustração, porque vejo pessoas que eu considerava mais espertas do que eu dedicando enormes quantidades de energia a projetos relacionados ao bitcoin e não contribuindo de fato para o seu próprio bem-estar ou para o bem-estar da sociedade.

Um segundo título deste discurso retórico poderia ser: Bitcoin – cale a boca e faça as contas.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s