Ano do Jubileu para o FTP

O dia 16 de abril de 1971 não é apenas a data em que os Rolling Stones lançaram Brown Sugar, mas também é lembrado, no mundo da Tecnologia da informação, pela publicação da RFC 114 marcando o dia do nascimento do FTP [File Transfer Protocol – Protocolo de Transferência de Arquivo].

Naqueles dias, este bloguista, infante, ainda achava que o mundo era mágico. A guerra do Vietnã estava na vanguarda das notícias; o TCP/IP ainda não existia; Jimi Hendrix tinha morrido há 6 meses; o Telnet era o novo “cool kid” e alguns dos artistas de rock’n’roll mais influentes estavam perto de lançar inesquecíveis obras-primas [Imagine, John Lennon, e.g.] – enquanto o FTP ainda usava um protocolo de rede chamado NCP [Network Control Protocol].

FTP – O mais popular protocolo de transferência de arquivo

Ao longo dos anos, o protocolo FTP foi refinado com 16 revisões diferentes[1], adicionando suporte com TCP/IP, uma extensão segura também conhecida como FTPS – que aproveita a mesma tecnologia que o HTTPS – e adições mais recentes, como suporte IPv6.

Cinquenta anos após o seu início, o protocolo ainda está muito forte, com milhões de servidores FTP ainda expostos na internet, o que é bastante surpreendente, considerando a má publicidade que recebe de algumas pessoas, empresas e instituições, que escrevem sobre o quão ruim o FTP está sendo ao vender o protocolo como um produto completo [mesmo que em muitos casos, o mais próximo que certos críticos chegaram do FTP é alguma API proprietária muito menos inteligente, que só pode ser usada se os distintos forem gentis o bastante para te dar uma chave].

Debian Linux, por exemplo, é um dos críticos e alega que desativou seus serviços de Protocolo de Transferência de Arquivos Públicos (FTP) em 2017, porque quase ninguém os usava mais e eles são difíceis de operar e manter. “Nosso próprio instalador não ofereceu FTP como uma maneira de acessar espelhos por mais de dez anos”, disseram.

As razões são bem simples: O colaborador do Debian Cétric Boultier diz que “servidores FTP não têm suporte para cache ou aceleração”, o que provavelmente significa que o Debian tem que jogar mais hardware no FTP do que seria sensato. Ele também observa que a maioria das implementações de software clientes “estagnaram e são desajeitadas de usar e configurar… O protocolo é ineficiente e requer adições de improvisações desajeitadas a firewalls e daemons de balanceamento de carga”.

De qualquer maneira, em 2021, o que parece ser reconhecido como progresso toma a forma de protocolos proprietários, feitos a portas fechadas e sem qualquer RFC [Request For Comment]. Em vez disso, o que sobra aos desenvolvedores que desejam criar servidores concorrentes é fazer a engenharia reversa dos kits de desenvolvimento de software.

Na verdade, em um mundo ideal não deveria importar qual ferramenta se usa, mas sim se essa ferramenta é fácil de usar, se vovó pode transferir as fotos que ela deseja compartilhar, abrir vídeos e fazer todas as outras coisas que não deveriam exigir dela conhecimentos sobre protocolos – pois nosso trabalho como engenheiros de dados é abstrair todas essas coisas complicadas para que, pela magia da abstração, alguém acessando sua conta bancária no conforto de seu lar não tenha que entender de criptografia ao usar SSL.

[1] FTP ao longo dos anos:

  • RFC 114 (abril de 1971)
  • RFC 697 (julho de 1975): Comando CWD
  • RFC 765 (junho de 1980): TCP / IP
  • RFC 959 (outubro de 1985): Protocolo de transferência de arquivos
  • RFC 1579 (fevereiro de 1994): FTP compatível com firewall
  • RFC 1635 (maio de 1994): Como usar o FTP anônimo
  • RFC 1639 (junho de 1994): FTP Operation Over Big Address Records
  • RFC 1738 (dezembro de 1994): Uniform Resource Locators
  • RFC 2228 (outubro de 1997): Extensões de Segurança FTP
  • RFC 2389 (agosto de 1998): Mecanismo de negociação de recursos para o protocolo de transferência de arquivos
  • RFC 2428 (setembro de 1998): Extensões para IPv6, NAT e modo passivo estendido
  • RFC 2577 (maio de 1999): Considerações de segurança de FTP
  • RFC 2640 (julho de 1999): Internacionalização do Protocolo de Transferência de Arquivos
  • RFC 3659 (março de 2007): Extensões para FTP
  • RFC 5797 (março de 2010): Registro de Comando e Extensão FTP
  • RFC 7151 (março de 2014): Comando HOST do protocolo de transferência de arquivos para hosts virtuais.

Fonte: Adaptado de filestash.app

2 comentários sobre “Ano do Jubileu para o FTP

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s